Tag: América do Sul

Carnaval do Brasil – Desfilando pela Independente!!!

Esse ano fui participar de verdade do Carnaval do Brasil! Fugi do inverno e fui passar uns dias em São Paulo, minha terra amada que também tem um excelente carnaval, tão bom quanto o do Rio de Janeiro!

Antes mesmo de eu desembarcar no Brasil, uma amiga (Thanks, Julia!) me chamou para desfilar pela Independente, escola de samba da torcida organizada do São paulo FC, meu time do coração! Não deu para negar o convite, né? No domingo de carnaval, estava eu pronta para ir mostrar meu samba no pé, que confesso que é inexistente! rs Dá o play pra conferir:

Como funciona o Carnaval do Brasil

Carnaval do Brasil é coisa séria! As escolas de samba demoram o ano todo para preparar o desfile e competir para ganhar o primeiro lugar. Uma equipe gigante de pessoas faz parte do processo: desde o pessoal que cria o tema, pesquisa sobre o assunto, as costureiras que montam as fantasias, os marceneiros que fazem os carros alegóricos… É muita gente mesmo!

Cada escola de samba escolhe um tema e a partir daí cria um samba enredo (que é o samba tocado durante todo o desfile no Sambódromo) e toda a estrutura do desfile. Escolas do grupo especial chegam a ter 4 mil pessoas desfilando; no caso da Independente, éramos 1.500 na Avenida! Isso sem contar a equipe de apoio: harmonia, pessoas que empurram os carros alegóricos etc.

Carnaval do Brasil

Já fantasiadas, ainda na Quadra da Independente!

No dia do desfile, tudo tem que ser super organizado e cronometrado: as escolas tem tempo certo para cruzar o Sambódromo todo (em torno de 50 e 65 minutos). Durante o desfile, diversos quesitos são analisados pelos jurados: samba enredo, harmonia, bateria, fantasia, alegoria, Mestre-sala e Porta-bandeira…

Tanto em São Paulo quanto no Rio existe o Grupo Especial e o Grupo de Acesso (que é como se fosse a segunda divisão). Todo ano algumas (geralmente duas) escolas  do grupo especial “caem” para o grupo de acesso e algumas do grupo de acesso “sobem” para o grupo Especial.

Importante dizer que Escola de Samba é como time de futebol: você tem a sua desde criança, não vale mudar no meio do caminho! É uma paixão nacional tão grande como o futebol, então levamos à sério, sofremos e torcemos pela nossa escola!

Como desfilar no Carnaval do Brasil

O certo mesmo é durante o ano participar dos ensaios nas quadras das escolas. Estes ensaios são festas onde a comunidade da escola de samba treina o samba enredo e aproveita para se divertir, claro. Eles acontecem durante todo o ano e mesmo não tendo as fantasias, vale muito a pena ir para conhecer!

Mas se você também não mora no Brasil, deve entrar em contato com as Escolas de Samba e ver a possibilidade de desfilar. Aqui alguns links que podem te ajudar: Liga das Escolas de Samba de São Paulo e Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro.

A maioria das escolas aceita pessoas de fora da comunidade, então você paga pela fantasia e no dia do desfile basta estar na concentração na hora estipulada. Nestes casos, é mais provável que você desfile no chão, não em um carro alegórico (geralmente reservado para as pessoas da própria escola de samba, que estão sempre presentes nos ensaios durante o ano).

Carnaval do Brasil

Croqui de Make up!

Precisa Sambar? Não, não precisa. Mesmo pq, com tudo aquilo de fantasia fica realmente difícil se mexer muito. As mulheres que vocês vem lindas desfilando todas sensuais são passistas, participam da escola desde que nasceram praticamente e obviamente, sabem sambar muito bem. Quem sabe um dia eu chego lá? rs

Agora uma cosia que precisa é saber cantar o samba enredo! Como já disse antes, as escolas são julgadas durante todo o tempo que estão na avenida, e os juízes olham se os integrantes das escolas sabem o samba. Fiquem tranquilos: é fácil decorar o samba enredo direto na avenida… E se não decorar, é só mexer a boca e fingir! rs

Como é desfilar no Carnaval do Brasil

Como vocês viram no vídeo, é suuuuper cansativo! Cheguei na quadra da escola de samba às 6 da tarde e o desfile só terminou à 1h30 da manhã! Fazer xixi, beber água, comer, é tudo quase impossível. Beber até cair? Nem pensar! Você tem que estar sóbrio pra desfilar e não prejudicar a escola! A fantasia pode machucar e incomodar, o sapato geralmente não é seu número (calço 37 e minha bota era 40!)… Tem que ter pique e muuuuuuuita paciência!

Carnaval do Brasil

Prontas para subir no carro alegórico!

Mas na hora que a bateria começa a tocar e entramos na avenida, o cansaço todo desaparece! A energia é tão incrível que faz todo o sacrifício valer a pena! Não dá para descrever a emoção é é ouvir a bateria, ver os outros integrantes da escola cantando o samba enredo, acenar para o público do sambódromo… É maravilhoso!

Carnaval do Brasil

Já em cima do carro alegórico do Pinóquio!

Alguns dias depois, quando recebia notícia que a Independente tinha ficado em segundo lugar e subido para o Grupo Especial, quase chorei de emoção! Infelizmente não consegui ir no Desfile das Campeãs, que reúne as primeiras colocadas do Grupo de Acesso e do Grupo Especial.

Agora quero muito voltar em 2018 para desfilar pela Escola de novo! Será que eu consigo?

O que levar na bagagem de mão no inverno?

“O que levar na bagagem de mão no inverno?” Esta foi minha primeira dúvida quando soube que o Encontro Europeu de Blogueiros Brasileiros seria na gelada Berlim!

Viajar com companhias aéreas low cost tem um pequeno problema: despachar a mala sai muito caro. Assim, o jeito é viajar só com a mala de mão, para economizar e ainda não perder tempo esperando a bagagem na esteira… Como sei que muita gente sofre como eu para fazer a mala, resolvi filmar e mostrar para vocês como fazer uma mala de mão para o inverno da Europa!

Na minha bagagem de mão no inverno, levei:

  • – 1 casaco pesado
  • – 1 jaqueta térmica Uniqlo
  • – 2 calças
  • – 1 saia
  • – 3 malhas
  • – 2 blusas térmicas Uniqlo (comprei mais uma na viagem, mas dá para lavar no hotel e secar de um dia para o outro!)
  • – 1 camisa de flanela xadrez
  • – 1 legging térmica
  • – 1 legging de pelúcia
  • – 1 bota
  • – 1 tênis
  • – 1 chinelo
  • – Meias, calcinhas e sutiãs (que são lavados no hotel, durante a viagem)
  • – pijama
  • – 2 toucas de inverno
  • – luvas
  • – 1 lenço (que nem usei!)

Bagagem de mão inverno Europa

Essa mala foi mais do que suficiente para passar 10 dias no frio da Alemanha: deu para variar bem os looks sem passar frio! Como ainda comprei um casaco pesado na Uniqlo (estava precisando!), ainda consegui variar ainda mais os looks. Aproveitei a ida à Uniqlo (sim, sou viciada nessa loja! rs) para comprar mais uma blusa e legging térmicas.

Viram como é possível viajar leve e ainda manter o estilo? O segredo é levar peças que combinam entre si e apostar nas roupas com tecnologia, que são leves, não fazem muito volume e te deixam quentinha!

Ainda farei um post sobre a minha necessaire de viagem, também super reduzida para a bagagem de mão, aguardem!

Alguém tem mais alguma dica para a bagagem de mão no inverno? Divide com a gente nos comentários! ;)

DIY Travel Map!

Post de hoje é especial para quem ama viajar: DIY Travel Map! O Travel Map é perfeito para marcar os lugares que você já visitou e também aqueles que você pretende visitar um dia! Nada melhor do que ter o mapa inteiro sempre à vista para programar as próximas férias, né? Sempre quis ter um, mas nunca achei uma versão que me agradasse  ou que não custassem um rim! rs Aí decidi fazer esse tutorial para vocês! ;)

DIY-Travel-Map Você vai precisar de:

  • 2 “folhas”de feltro grosso ou EVA (usei uma de cada), em cores contrastantes
  • Tesoura bem afiada
  • Alfinetes
  • Cola
  • Pins de escritório
  • Caneta
  • Papel cartão
  • Mapa mundi impresso

Para começar, é preciso imprimir o mapa mundi do tamanho do seu mapa (você decide!). Fiz o meu com 60 por 40 cm. Importante ressaltar que quanto menor, mais difícil fica para recortar e fazer os detalhes do mapa. Por conta disso, escolha uma imagem simples para imprimir (nada de todas as ilhas do mundo super detalhadas! rs).

DIY-Travel-map-facil Aí começa a parte chata/difícil desse DIY Travel Map. Depois do mapa impresso, recorte todas as partes dos continentes. Em seguida, coloque as partes recortadas, uma por vez, em cima do feltro e fizer com um alfinete. Aí você tem que recortar o feltro, usando o papel como molde. Faça isso com todas as partes do mundo, uma por vez. Tente deixar as peças organizadas!

DIY-Travel-map-feltro Depois de recortar tudo (demora bastante e tem que ter paciência!), chegou a hora de montar o quebra cabeça! Comece colocando a Antártida centralizada na parte inferior do seu feltro/EVA base. Você pode usar o sulfite recortado como molde para acertar os outros continentes. Depois que tiver todas as partes nos lugares certos, cole uma a uma, com cuidado para não deixar a cola vazar.

DIY-Travel-map-bandeiras Enquanto seca, vá fazendo as bandeirinhas dos locais: dá para usar aqueles furadores de papel com formatos fofos (coração, avião etc). Eu fiz com a tesoura mesmo, recortei micro-bandeirinhas. Com uma caneta esferográfica, coloquei o nome das cidades ou país em que já estive. Aí é só prender as bandeirinhas com os pins no mapa!

DIY-Travel-map-easy Acho que isso ficou bem óbvio, mas vamos lá: é claro que esse mapa é estilizado. Nem de longe tive a pretensão de recortar todos os países e todas as ilhas do mundo certinhas… rs Eu decidi fazer o meu Travel Map nas cores preto, branco e pink. Assim, usei de base o EVA preto com glitter colorido, os mapas em branco e as bandeirinhas em pink. Você pode fazer das cores que preferir, só lembre que elas tem que constrastar entre si!

Travel-map-diy Agora escolha um lugar de destaque e pendure seu Travel Map! Eu usei fita dupla face para pendurar, porque ainda não decidi o local final dele…. rs

DIY-travel-map-europe O bom desse Travel map é que por ele ser maleável, dá para enrolar e levar para qualquer lugar com você, sem grandes problemas! Dá para mandar enquadrar também, se você preferir!

Gostaram do DIY Travel Map? Deu um trabalhão, mas ficou fofo, né? ;)

Quem fizer, manda fotos ou me marca no instagram (@trendtips) para eu ver o resultado! 

Trip Tips: Pipa – RN (parte 2)!

Semana passada, falei sobre os meus primeiros dias em Pipa. Hoje vou falar sobre mais alguns passeios, o hotel que fiquei e os restaurantes que fui!

Santuario-Ecologico-Pipa-RN

No penúltimo dia em Pipa foi a vez de visitar o Santuário Ecológico, que tem várias trilhas, com mirantes para ver golfinhos e tartarugas. Pegamos a trilha mais simples, que dá para fazer numa boa, em bem menos de uma hora. Agora, o ponto alto do passeio foi o Chiquinho: um sagui deficiente que foi adotado pela equipe do Santuário e fica na recepção. O Chiquinho é a coisa mais fofa do mundo, super dengoso, adora um cafuné! Se forem lá, não deixem de perguntar por ele na recepção! ;)

Praia-do-centro-pipa-rn

No mesmo dia, almoçamos no centrinho de Pipa (já que só conhecíamos a “cidade”) à noite, passamos na Praia do Centro e depois seguimos novamente para a Praia do Madeiro. No Santuário tem uma base do Projeto Tamar e vi que no mesmo dia teria a soltura de filhotes de tartaruga. Jamais perderia esse momento! Então, no final do dia, o pessoal do Tamar aparece, faz um cercadinho para as tartarugas e libera todos os filhotinhos, muito amor!

Soltura-tartarugas-projeto-tamar-pipa-rn

Não vi o ninho, já que neste dia eles tinham resgatado os filhotes de um ninho que estava em outra praia (por isso o isopor), mas na maioria das vezes dá para ver as tartaruginhas saindo dos ovos! Sou apaixonada por tartarugas e a emoção que senti ao vê-las indo para água foi indescritível! Muito, muito amor! Agora, sempre que estiver perto de um projeto Tamar, vou verificar se haverá a soltura de filhotes, quero ver mais vezes!!! #ficadica ;)

Golfinhos-paia-de-pipa-rn

Já no último dia, optamos por pegar o passeio de lancha que sai da Praia do Centro para ver (mais) golfinhos (não consigo enjoar deles!). Esse foi o maior erro da viagem! Rs Eu enjôo muito, em carro, avião, barco, tudo… Então, né, deu 15 minutos de passeio e eu já estava passando mal… Uma pena, por que de lancha dá para ver os golfinhos bem de perto! Pelo menos mamys estava bem e tirou várias fotos deles! Rs

Hotel-Varandas-mar-de-pipa-rn

Sobre acomodação: fiquei hospedada no Varandas Mar de Pipa, um condomínio com vários chalés com uma vista incrível do mar. A vista era linda, a equipe super atenciosa (a recepcionista Jéssica foi um amor!) mas muitas coisas deixaram a desejar. O café da manhã era simples, um dos chuveiros do chalé não funcionava direito e o pior de tudo para mim: era “longe” do centrinho. O hotel até oferece taxi em alguns horários determinados, mas acabamos gastando muito com táxi para ir jantar e voltar. Lá em Pipa não tem taxímetro, o preço é fechado em R$ 15 por viagem (um absurdo considerando que as distâncias são mínimas). Se forem para lá, escolhem um hotel que fique na rua do centrinho mesmo, bem mais fácil para tudo! Ah, e nem de longe paguei o valor que está no site deles, porque aí não vale a pena mesmo, caro demais!

Vista do Espaço Lampião, lula do mesmo restaurante e carne do Dall’italiano!

Como boa #gordinhasafada, não poderia deixar de mencionar a comida de Pipa! Gente, tudo, absolutamente tudo o que eu comi por lá era incrível! E o melhor: por preços bem acessíveis. Desde peixe, todos os frutos do mar, lagosta, carne, crepe… Tudo era muito bom! Fui dois dias no Espaço Lampião, que pelo que percebi é o restaurante mais top de lá e gostei, mas também não vi nada de mais (fora que é bem carinho, vale mais pela vista durante o dia)! Gostei muito das creperias Aruman (com jeito de baladinha) e Fases da Lua (bem simplesinha, mas deliciosa), da churrascaria Pé de Manga e da pizzaria Dall’italiano (que vende muito mais que pizzas). Pode ir explorando a ruazinha central sem medo, e entrar no restaurante que você mais simpatizar!

Como andava o dia todo, de noite eu só queria comer e dormir, então nem fui para “balada” por lá… #velha rs Mas vi que tem vários barzinhos incríveis e até uma baladinha mesmo. Vou ter que voltar para conhecer a noite de Pipa!

Para finalizar o post, um vídeo rapidinho com os melhores momentos da viagem, incluindo meu tombo fazendo sandboard e momentos de puro enjoo tentando ver os golfinhos!!! rs

Acredito que existam alguns paraísos na Terra, e um deles, definitivamente é Pipa! Lugar lindo, aconchegante, com praias incríveis e o melhor de tudo: golfinhos e tartarugas!!! <3 Já estou louca para voltar!!!

PS: É só clicar nas fotos que elas aumentam! Se quiser ver o outro post sobre Pipa, é só clicar aqui!

Trip Tips: Pipa – RN!

Quem me acompanha pelo Instagram, viu que em junho tirei umas mini-férias com mamys. Passamos uma semana em Pipa, e confesso que decidi o destino baseada em uma única ideia: ver golfinhos! Rs E assim decidi meu primeiro passeio por lá!

Passeio-de-balsa-lagoa-dos-guarairas-pipa

Logo cedo, a van passou para nos pegar no hotel para passear pela lagoa das Guaraíras a bordo da “escuna” Solemio. Coloco escuna entre aspas porque no flyer (e no site) do passeio da foto era de uma escuna, mas na verdade o passeio é feito em uma balsa! O passeio dura o dia todo e é delicioso: música animada, tripulação super simpática, parada nos bancos de areia com direito a espetinhos e bebidas servidos no mar! Tudo já incluso no preço (R$ 135 por pessoa)! #gordinhasafada que sou, adorei né! rs Em uma das paradas, ainda dá para comer ostras frequinhas, uma delícia (pagas à parte)!

por-do-sol-lagoa-das-Guaraíras-pipa

No final do dia, vimos o pôr-do-sol (lindo!!!) de dentro da lagoa, onde os golfinhos costumam nadar. Não dei muita sorte, já que  apareceram só dois, quando já estava bem escuro… Mesmo assim, foi lindo vê-los!!! <3

Praia-do-madeiro-pipa

Como não dei sorte no dia anterior, passei o dia seguinte inteirinho na Praia do Madeiro, onde os golfinhos são visitas constantes! Lá ficamos na Barraca do Jegue, que tem guarda sol e cadeiras para quem consumir por lá. Vale dizer que a comida estava bem gostosa! Só depois que descobri que ficando mais para a direita, dá para ver melhor os golfinhos (eles preferem águas bem calminhas!). No outro dia que fui para lá, enquanto estava nadando no raso, um golfinho passou há menos de 4 metros de mim, chorei de emoção, juro! <3 <3 <3 Só que é praticamente impossível fotografá-los, uma pena… Nessa praia ainda é possível praticar vários esportes: caiaque, stand up paddle, surfe… Tem tudo para alugar lá! Eu preferi ficar deitada observando os golfinhos mesmo, de esporte já me bastou a escada de acesso à praia com mais de 150 degraus (atentem para minha cara de animada para subir tudo)! rs

Passeio-de-buggy-pipa-natal-rn

No terceiro dia, fizemos o passeio que eu menos gostei: de buggy (em torno de R$ 500 o buggy para até 4 pessoas – bem apertadas! Rs), fomos pela orla até Genipabu (perto de Natal). Todos os lugares que passamos eram lindos, mas é muito cruel andar de buggy, conforto zero… O buggy só é legal nas dunas mesmo, fora delas é um terror. Quem for arriscar o passeio, fica a dica: vá de roupa bem larguinha e muito protetor solar. O carro é aberto e não rola ficar de biquíni, já que a areia bate na pele e dói muito! Fui de shorts jeans e tive que comprar uma saída de praia no Maior Cajueiro do Mundo (que é impressionante, mas não precisa passar mais que 10 minutos por lá!)… rs Aceitem meu conselho: peguem o city tour com algum taxista de Pipa mesmo, que ele vai parando em todos os lugares que você quiser e deixem para pegar o buggy só nas dunas, em algum passeio de 1 hora… Certeza que vai ser bem melhor e menos cansativo!

Passeio-de-jardineira-pipa-rn

No dia seguinte, fizemos o passeio de Jardineira (R$ 95 por pessoa, almoço não incluso) o meu preferido de toda a viagem (e olha que nem vi golfinhos nesse dia! #obcecada rs)! Ao contrário do buggy, fomos em direção ao sul, começando pelo Chapadão e passando por várias praias, uma mais incrível que a outra. O passeio é super completo: pegamos uma balsa para atravessar um riozinho, depois ainda tem uma jangada para ir para uma praia super deserta, parada para almoço e no final do dia, esquibunda/sandboard (no próximo post tem vídeo do rola que tomei! Rs)!

Sandboard-pipa-rn

Depois de ficar a milanesa, ainda fomos para um barzinho na lagoa das Guaraíras para tomar uma cerveja ducha e ver mais um pôr-do-sol incrível! O guia Eduardo é um carioca super gente boa, a turma que estava no passeio também era incrível, tudo perfeito! Recomendo muito o passeio!

Ufa, o post ficou enorme… Ainda tem mais, mas deixo para outro post, que ainda vai ter um vídeo com os “melhores momentos” da viagem! ;)

PS: É só clicar nas fotos que elas aumentam!